Seu navegador não possui JavaScript ativo!

NAVI destaca importância do cuidado psicológico no Setembro Amarelo

Setembro Amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015. A ideia é levantar debates sobre a saúde mental. Publicado em:
Descrição da imagem: No canto superior esquerdo da imagem, consta a mensagem: Setembro amarelo é uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio. No canto direito superior a hashtag #SetembroAmarelo. No centro a frase "Seja solidário", seguida de: Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz - Madre Teresa de Calcutá. Abaixo, o laço amarelo, símbolo da campanha e a logomarca do NAVI.
Campanha é incentivada em todo o Brasil; NAVI também ressalta a relevância de procurar ajuda profissional

O Dia D da campanha do Setembro Amarelo é nesta terça0feira (10). O suicídio no Brasil já faz mais vítimas que a AIDS e mata mais do que vários tipos de câncer. Mesmo assim, muitas pessoas ainda não discutem o assunto e têm medo de encarar as doenças psicológicas que, muitas vezes, levam à morte.

A vergonha, o desconhecimento e o desinteresse das vítimas e de seus familiares e amigos em tratar o problema são catalisadores que precisam ser combatidos. Essa é uma das metas do Setembro Amarelo, mês em que adotamos o Amarelo para colorir o movimento mundial para conscientizar a população sobre a realidade do suicídio e mostrar que existe prevenção em mais de 90% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde.

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Pelo menos o triplo de pessoas tentaram tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio. Apesar de números tão alarmantes, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que só colabora para seu aumento dos casos, pois as pessoas muitas vezes não sabem que podem procurar ajuda.

Como ajudar?

Mas como buscar ajuda se sequer a pessoa sabe que ela pode ser ajudada e que o que ela passa naquele momento é mais comum do que se divulga e ela imagina? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou parente se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?

O câncer, a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), há duas ou três décadas, eram rodeadas de tabus e viam o número de suas vítimas aumentando a olhos nus. Foi necessário o esforço coletivo, liderado por pessoas corajosas e organizações engajadas, para quebrar esses tabus, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.

Por essa razão, o CVV – Centro de Valorização da Vida, uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962, está engajada e promovendo atividades neste movimento além de oferecer uma linha direta para ajudar através do número 141!


OUTRAS NOTÍCIAS